Mediunidade

NÃO QUERO ME DESENVOLVER, MAS SOU UMA PESSOA CARIDOSA. E AÍ?

E aí que uma coisa não tem a ver com outra... 

Ser caridoso (a) sem dúvida é algo importante e que faz bem ao nosso espírito, mas não é possível substituir o trabalho que se realizaria, enquanto médium, por outra atividade.

É comum que os candidatos a deserção digam: mas eu sou uma pessoa boa, frequento uma casa, acendo velas, ajudo quem eu posso... E eu sempre digo: ótimo, isso sem dúvida engrandece o seu espírito!

Mas, como Deus não faz nada inútil, a regra é simples: nasceu com mediunidade? Então, precisa trabalhar. Se não precisasse, não nasceria com a mediunidade. Simples assim!

Outro temor comum é: e se eu não me desenvolver, minha vida vai desandar?

- Não, não vai.

A sua vida será o que você quiser fazer dela. O fato de optar por não desenvolver a mediunidade não causará quaisquer prejuízos pessoais, familiares, afetivos ou financeiros, porque nada disso está atrelado a mediunidade.

Porém, quem deixa o compromisso mediúnico de lado, retorna para o Mundo Espiritual, por ocasião do seu desencarne, sem ter cumprido algo que ele mesmo prometeu cumprir, para o seu próprio crescimento espiritual, o que frequentemente causa arrependimento pela oportunidade perdida.

Leonardo Montes 


Postar um comentário

Postar um comentário

Os anos de internet me ensinaram a não perder tempo com opositores sistemáticos, fanáticos, oportunistas, trolls, etc. Por isso, seja educado e faça um comentário construtivo ou o mesmo será apagado.