Desenvolvimento Mediúnico na Umbanda - Capítulo 5: Resguardo

médium

Vamos fazer um salto em nosso livro, cujos primeiros capítulos foram introduções/orientações aos futuros médiuns, e pular diretamente para a parte prática da coisa, que é o objeto central deste estudo.

Abaixo seguem algumas orientações de caráter universal e que devem ser seguidas para um bom desenvolvimento mediúnico: um dia antes do início do desenvolvimento, não se alimentar de carne, não ingerir bebidas alcoólicas ou fazer uso do fumo, não manter relações sexuais, redobrar os cuidados com a oração, cuidado com os sentimentos e fazer o banho de ervas.

Este conjunto é chamado de resguardo (ou preceito) e é extremamente importante que os médiuns sigam cada uma destas recomendações para que, no momento do seu desenvolvimento, estejam com a melhor energia possível, a fim de realizar um bom trabalho.

Contudo, mais do que recomendações, é preciso entender o porquê de tais recomendações e é justamente o que veremos agora.

Carne

Eu trabalhei muitos anos na zona rural e vi, diversas vezes, as vacas se agitarem ao perceber o caminhão que as levaria para o matadouro. É uma cena triste, mas é uma realidade.

Nenhum animal vai ser abatido com prazer. Ele sofre, teme. A energia deste estado emocional é impregnada em sua carne, tornando-a energeticamente carregada. Quando o médium se alimenta de carne, ele ingere, também, as vibrações do desespero e da dor que acompanharam aquele animal nos instantes finais.

Tais energias são muito densas e contaminam todo o campo áurico do médium que passa a ficar “sujo”, dificultando sobremaneira o processo de incorporação, por isso pede-se que não se alimente de carne pelo menos 24 horas antes do trabalho.

É certo que a carne vermelha acaba sendo mais densa que a carne branca, mas esta também deve ser evitada, pela mesma razão, embora cause menos impacto.

Bebidas alcoólicas

A energia contida na bebida alcoólica é extremamente forte, capaz de atordoar. Aliás, diversas entidades já me mostraram um processo curioso em que pediam para colocar um pouco da bebida num copo, enquanto assopravam a fumaça do charuto no mesmo, aguardando alguns minutos.

Depois, pediam que bebêssemos um pouco da bebida do copo e também da garrafa perguntando se notávamos diferença. Sim, notávamos: a bebida da garrafa era muito mais forte que a do copo.

Quando perguntávamos o que teria acontecido, respondiam que haviam tirado boa parte da energia da bebida do copo, enquanto a que estava na garrafa não havia sido tocada.

Era uma forma prática de nos ensinar que os espíritos conseguem manipular e direcionar a energia dos elementos.

É essa energia que deixa as pessoas bêbadas, amortece a consciência e faz com que tantas pessoas percam o rumo numa bebedeira... A diferença é que quando utilizada por uma entidade, essa energia é direcionada para um foco, seguindo um fluxo... Já quando ingerida por uma pessoa não há para onde fluir e por isso acaba incidindo sobre o próprio corpo, causando a embriagues. 

A bebida alcoólica também deixa o campo áurico “sujo” e por isso deve ser evitada.

Fumo

Assim como explicado no item anterior, as entidades quando fazem uso do fumo (que, diga-se, em grande parte das vezes não é este fumo industrializado dos cigarros), são capazes de manipular e direcionar a energia deste elemento de forma construtiva, o que não se consegue fazer quando quem fuma é o ser encarnado.

Contudo, a energia do fumo não apenas deixa o campo áurico “sujo”, ela também deixa o corpo físico pesado, diminuindo as forças físicas do médium e, por isso, deve ser evitado.

No entanto, diferente da embriagues que deixa a pessoa “fora de si”, o vício no tabaco não produz tal efeito, sendo, portanto, mais difícil de combater. Os que são fumantes inveterados devem, porém, fazer um esforço para diminuir seu uso neste dia, caso não consigam ficar sem.

Relações sexuais

As energias do sexo são energias poderosas, criadoras, energias da vida. Portanto, quando uma pessoa mantém relações sexuais (ou se masturba), ela naturalmente perde muita energia e essa energia perdida faltará, posteriormente, no momento do desenvolvimento.

Contudo, além desta perda energética, existe um outro fator que são os pensamentos. Muitas pessoas, ao manter relações sexuais, projetam imagens mentais sádicas, masoquistas ou simplesmente bizarras. Tais imagens, embora possam satisfazer sexualmente aquele que as imagina, acabam gerando vibrações antagônicas ao trabalho espiritual que se realizará e, por isso, não se deve ter relação sexual pelo menos um dia antes do trabalho.

Oração

A oração é uma força poderosíssima, capaz de ligar os planos espirituais. O médium em desenvolvimento deve aprender a orar com todo o seu coração, especialmente, em dias de trabalho, pois neste dia, geralmente, as trevas atacam e tudo conspira para que dê errado. A oração neste caso ajudará o médium a manter a sua serenidade, a sua paz e a se conectar melhor com seus guias.

Sentimentos

Justamente pela pressão psíquica exercida no dia de trabalho pelas entidades trevosas, além de recorrer a oração, o médium deve ficar muito atento aos próprios sentimentos, fazendo o possível para evitar quaisquer situações de aborrecimento, pois as vibrações geradas pela raiva, revolta ou qualquer outro sentimento negativo, sem dúvida afetarão o seu desenvolvimento.

Banho de ervas

Eis outra etapa fundamental e, frequentemente, desprezada. É incrível como “já vi” médiuns mentindo a este respeito. Aliás, “já vi” médiuns mentindo sobre todos os itens anteriormente citados... Mas, este, especialmente, é bastante comum.

O motivo? Sinceramente, não sei. Às vezes, acho que é por preguiça, enfim...

O banho de ervas, antes da gira, é a “cereja do bolo” de todos os esforços anteriores. É o ponto final do processo e deve ser feito, preferencialmente, quando o médium já estiver pronto para ir ao terreiro ou – caso vá direto do trabalho, por exemplo – deve ser feito antes de sair de casa.

Contudo, não se deve usar qualquer tipo de folha. Deve-se usar, preferencialmente, a folha da mangueira ou a folha da samambaia. Existem médiuns que se adaptam melhor com a energia da folha da mangueira (como eu) e existem outros que se adaptam melhor com a folha da samambaia. Seja como for, só testando para saber (não misture os banhos).

Estas duas folhas têm a capacidade de aumentar a nossa receptividade mediúnica, como uma espécie de “bombril na antena” das televisões antigas. É um recurso à mais e por isso deve ser feito.

Modo de preparo:

Colha as folhas, preferencialmente, no dia em que realizará o banho. Sempre peça à árvore/planta, em pensamento, em oração, antes de arrancar suas folhas. No caso da mangueira, cinco folhas bastam. No caso da samambaia, três a quatro galhos são suficientes.

Lave bem as folhas, retirando as impurezas. Providencie uma bacia, de preferência, para uso exclusivo dos banhos. Pode ser de qualquer tipo. Encha com água da torneira mesmo.

Acenda uma vela branca para seu Anjo da Guarda (nunca deixe vela acesa em casa sem ter alguém por perto), coloque a vasilha em seu altar pessoal (se não tiver, pode ser em cima de uma mesa comum). Faça uma oração, peça proteção, inspiração para o trabalho que virá.

Se quiser, incremente o ambiente com um incenso, música suave ou pontos cantados.

Coloque as folhas na bacia e macere com as mãos, triturando-as bem. Faça isso em oração ou cantando os pontos com fé, mentalizando tudo de bom que deseja para o seu desenvolvimento.

Deixe as folhas descansando por pelo menos duas horas (recomendo, quatro horas). Cubra a bacia com uma toalha branca, para evitar que caia sujeira ou insetos.

Decorrido este tempo, coe a água, retirando as folhas que podem ser jogadas no lixo (embora, o melhor, é que sejam jogadas de volta na natureza, no quintal, num mato, etc.). Se quiser, aqueça a água no fogão ou misture com a água quente do chuveiro (a eficácia do banho não tem a ver com a temperatura da água).

Tomado o seu banho higiênico, em oração, despeje a água da cabeça aos pés, aguardando alguns minutos antes de se secar. Pronto, o banho está feito e você estará pronto para ir ao terreiro. 

Outras recomendações

Existem outras recomendações que não são tão impactantes quanto as citadas anteriormente, porém, devem ser observadas com atenção. No dia de trabalho, evite: café, açúcar, refrigerante, doces, alimentos pesados e gordurosos.

As primeiras substâncias são estimulantes do Sistema Nervoso Central. Então, se você se entupir de café, quando a entidade disser para você se concentrar, adivinha o que vai acontecer? Seus pensamentos parecerão uma montanha russa...

Os últimos devem ser evitados porque dificultarão a digestão e se seu corpo está preocupado em fazer a digestão, certamente, faltará energia para o desenvolvimento. Simples, não?

Recomendo que a última refeição seja feita no máximo três horas antes do desenvolvimento. 

No terreiro

Hora de ir para o terreiro? Procure ser precavido, saia com antecedência. Vá com calma, sem pressa.

Chegou no terreiro? Procure seu lugar, permaneça em silêncio, em concentração. Evite mexer no celular, ficar do lado de fora ou conversando. Faça tudo isso quando acabar o trabalho, mas não antes, até para que você tenha tempo para se desligar da correria do mundo, “esfriar o sangue” e se sintonizar com a energia da casa.

Se seguir todas essas recomendações, garanto que seu desenvolvimento será muito mais produtivo. 

Leonardo Montes 


2 comentários:

  1. Axé irmão, usarei seu texto sobre Exus Pagão,Batizados e Coroados como base para um vídeo do meu canal no YouTube o canal chama espiritualmente falando

    ResponderExcluir

Os anos de internet me ensinaram a não perder tempo com opositores sistemáticos, fanáticos, oportunistas, trolls, etc. Por isso, seja educado e faça um comentário construtivo ou o mesmo será apagado.