quarta-feira, 12 de janeiro de 2022

A VIDA DO MÉDIUM FORA DO TERREIRO


A #Umbanda é uma das religiões mais abertas que conheço, pois aposta em um processo consciencial e não castrador. Isto é, ao invés de estabelecer uma lista de proibições referentes a comportamentos/atitudes, a proposta da religião é bem diferente, visando esclarecer as consequências de nossos atos, para conosco e com o próximo, deixa ao encargo da consciência de cada um o caminho a ser trilhado...

Cada um vive como quer, faz o que quer e, naturalmente, encara as consequências, boas ou ruins, de suas próprias escolhas. Contudo, este processo não deve ser visto como indiferença e, sim, como educativo. A aposta da Umbanda é que a educação espiritual mude o ser, mas deixa a ele a escolha do caminho a ser trilhado.

Certamente, é desejável que todos nos esforcemos para viver fora do terreiro tudo que aprendemos nele. Contudo, isto nem sempre é possível. Cada um está em um grau evolutivo e age, portanto, de acordo com a sua consciência. Nem por isto, contudo, as entidades deixam de ensinar ou mostrar o bom caminho, entretanto, o adepto é sempre senhor do próprio destino.

Assim, a vida que o médium leva fora do terreiro diz respeito apenas a ele, a seu processo consciencial e ao caminho por ele escolhido, pois o caminho da dor ensina tanto quanto o caminho do amor, apenas dá mais voltas e é mais perigoso, mas chega ao mesmo destino...

A exceção, claro, fica por conta de atitudes extremadas que coloquem o médium em risco ou coloquem a casa em risco, neste cenário, certamente tal comportamento inviabilizaria qualquer oportunidade de trabalho construtivo.

Contudo, desde que o médium evite tais extremos e seja capaz de, no mínimo, cumprir o resguardo e dedicar-se com fé ao seu trabalho espiritual, mesmo que tenha a vida toda torta, ele será capaz de realizar a sua gira.

"Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Eu não vim para chamar justos, mas os pecadores". Marcos 2:17

Leonardo Montes

Share:

0 Comments:

Postar um comentário

Os anos de internet me ensinaram a não perder tempo com opositores sistemáticos, fanáticos, oportunistas, trolls, etc. Por isso, seja educado e faça um comentário construtivo ou o mesmo será apagado.