terça-feira, 12 de janeiro de 2021

UMA ANÁLISE SOBRE A SINTONIA VIBRATÓRIA

energia


Os processos de influenciações espirituais operam de forma semelhante aos de um rádio com uma única diferença: em vez de falarmos em megaherts (frequência das rádios), falamos em sintonia vibratória que é, por assim dizer, a somatória dos nossos pensamentos e sentimentos formando um padrão energético em torno de nós.

Imagine que em torno de cada ser vivo existe uma aura, uma irradiação luminosa que toma cores e formas diferentes em cada individuo e que reflete a natureza de seus pensamentos e sentimentos, em intensidades e colorações variadas e, de certa forma, ainda misteriosas ao entendimento humano.

Uma pessoa com boa sintonia é alguém que, na maior parte das vezes, sente e pensa coisas boas e, naturalmente, irradia essa sintonia em tons e vibrações imperceptíveis ao olho humano comum. Já uma pessoa com uma sintonia ruim é alguém que, na maioria das vezes, sente e pensa coisas ruins e irradia essa sintonia em tons e vibrações imperceptíveis ao olho humano comum, embora facilmente perceptíveis a qualquer espírito!

É neste ponto que ocorre a chamada sintonia vibratória: cada um de nós, tendo em torno de si uma aura que nada mais é do que a somatória das vibrações criadas através de nossos pensamentos, sentimentos e atos, gera, em si mesmo, uma assinatura vibratória ou um padrão vibratório.

Este padrão se sintonizará, por princípios semelhantes ao do magnetismo comum, com outras energias, geradas por outros seres (encarnados ou não) e que cujos fluxos energéticos se atrairão ou se repelirão de acordo com a sintonia estabelecida entre eles.

É neste ponto que a literatura mediúnica chama a atenção, sempre nos apontando o caminho da reforma íntima, a melhoria de nossos pensamentos, sentimentos e a nos mantermos sempre em alerta os estados de vigília e oração, pois como seres ainda pequeninos, certamente é mais fácil nos "sintonizarmos" com as trevas do que com a luz.

E é neste momento que gostaria de falar com absoluta franqueza: a imensa maioria da população mundial (e eu certamente me incluo), não possui uma boa sintonia. Este é o ponto que me parece mais importante em todo esse estudo!

Por exemplo, com frequência se diz que os trabalhos espirituais negativos só "pegam" em quem possua um baixo padrão vibratório, certo? Porém, eu pergunto: quem é que não possui?

Há uma certa cegueira que domina os trabalhadores espirituais, em todas as correntes espiritualistas que já conheci, fazendo com que se sintam maiores do que de fato são e, por consequência, mais protegidos do que de fato são.

Pensam que, por serem trabalhadores da espiritualidade, por servirem um prato de sopa, fazerem o Evangelho no Lar, por tomarem um banho de ervas e se empenharem seriamente em se melhorarem, isso automaticamente os deixe com um bom padrão vibratório, ao passo que, penso, isso nos deixa, na verdade, com um padrão vibratório "menos ruim", mas que está muito longe de ser bom.

É a velha ideia de que o baixo padrão vibratório é sempre do outro, ao passo que eu defendo que o baixo padrão vibratório é de praticamente todas as pessoas na face da Terra.

Faça o seguinte teste, respondendo a si mesmo com sinceridade: 

- Todo dia, você faz todo o bem possível?

- Você cumpre, fielmente, as leis de Deus?

- Você aproveita todas as ocasiões para ser útil?

- Se alguém tem alguma queixa justa contra você, procura se desculpar?

- Você possui uma fé inabalável em Deus?

- Você acredita, confia e espera na bondade e justiça Divinas?

- Você se submete à vontade de Deus de bom grado?

- Você possui fé no futuro?

- Aceita sem se queixar todas as provas e vicissitudes da vida?

- Você faz o bem pelo bem, sem esperar absolutamente nada em troca?

- Você é incapaz de alimentar processos de ódio ou de vingança por quaisquer razões?

- É benevolente com todas as pessoas, especialmente, as que pensam diferente de você?

Com honestidade, quantas pessoas na face da Terra poderiam, verdadeiramente, responder com um "sim" a estas perguntas? 

E elas nada mais são do que questionamentos feitos a partir das características descritas sobre o "Homem de Bem" e que se encontram em O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. XVII

Na imensa maioria do tempo, nós pensamos e sentimos coisas ruins. Nos irritamos no trânsito, tememos pelo futuro, falamos mal de outras pessoas, estamos em conflitos íntimos ou com outras pessoas, reclamamos do salário, sentimo-nos desanimados, temos vontade de largar as tarefas espirituais, julgamos os companheiros e familiares, enfim, diria que, nas 24 horas de um dia, no máximo, teremos algumas horas de paz de espírito (e isso, com muito esforço).

Neste ponto talvez você pense que eu seja por demais pessimista. Algumas pessoas já me falaram isso quando as expliquei este meu raciocínio. Mas, de fato, não considero que seja um olhar pessimista, mas realista e cujo objetivo não está em desvalorizar e desmerecer o ser humano, mas em nos observarmos com sinceridade.

Não vamos evoluir de verdade enquanto nos acharmos privilegiados, bons ou fortes por fazermos a nossa obrigação básica em matéria de espiritualidade, pois é necessário reconhecer nossas fraquezas mais profundas e humanas para só então, através de um trabalho lento e progressivo, no correr de milhares (talvez, milhões de anos), evoluirmos de fato.

E, quanto ao problema da sintonia vibratória:

- É verdade. O mal de fato só nos atinge se estivermos com ele sintonizado. A questão é: quem é que não está?

Leonardo Montes 

Share:

0 Comments:

Postar um comentário

Os anos de internet me ensinaram a não perder tempo com opositores sistemáticos, fanáticos, oportunistas, trolls, etc. Por isso, seja educado e faça um comentário construtivo ou o mesmo será apagado.