domingo, 26 de abril de 2020

VIDA PRIVADA / VIDA RELIGIOSA

Imagem do google

A princípio, poderíamos dizer, sem medo de errar, que vida privada e vida religiosa não se misturam. Mas, isto não é bem verdade.

Não somos seres bifásicos nem separados das situações ou dos acontecimentos: somos um só, embora nos ajustemos, mais ou menos, aos ambientes e circunstâncias ao nosso redor.

Assim, poderíamos dizer que, no âmbito da vida privada, cada umbandista é livre para viver como quiser, fazer o que quiser e – obviamente – receber o retorno de suas ações...

Contudo, vida privada e vida religiosa se misturam a partir de seu ponto mais óbvio: a pessoa!

Como eu posso ser alguém que, na vida privada, sente-se livre para viver como quiser (e, muitas vezes, de forma destrutiva, para mim e para os demais) se, na vida religiosa, tudo que sou causa impacto no trabalho que realizo?

Há quem diga que isto é moralismo, mas para mim é simples relação de causa-efeito.

Sim: a Umbanda nos dá liberdade para vivermos como quisermos, mas os guias nos asseguram continuamente que tudo que fizermos, fora do terreiro, se refletirá no que fazemos, dentro dele.

Causa e efeito.

Leonardo Montes


Share:

0 Comments:

Postar um comentário

Os anos de internet me ensinaram a não perder tempo com opositores sistemáticos, fanáticos, oportunistas, trolls, etc. Por isso, seja educado e faça um comentário construtivo ou o mesmo será apagado.