terça-feira, 31 de dezembro de 2019

RITUAIS PARA A VIRADA DE ANO?

Imagem do google

Todo fim de ano, as pessoas me perguntam se existe alguma recomendação dos guias sobre o que fazer para a virada de ano.

É tradicional, na Umbanda, a famosa festa à Iemanjá na praia, a roupa branca, pular sete ondinhas. Há quem passe a virada do ano de amarelo, os que comem lentilhas, assopram canela na porta de casa, etc.

Todas as crenças são respeitáveis e, sem dúvida, devemos respeitá-las todas, porém, as entidades sempre me ensinaram que essas coisas são apenas rituais humanos, sem efeito prático algum.

O ano novo que virá será “bom ou “ruim”, basicamente, dependendo de dois fatores: as provas as quais devemos passar e a maneira como vamos reagir a elas!

Não será a cor da nossa roupa no momento da virada do ano que influenciará o que virá. Não existe uma “energia de prosperidade” que você atrairá por acender esta ou aquela vela ou fazendo este ou aquele ritual.

A passagem do ano é simplesmente a mudança do nosso calendário atual que, diga-se, durante boa parte da história da humanidade, para diversos povos antigos, foi diferente, comemorando-se a entrada do ano novo no Equinócio de Primavera (em março), quando o dia e a noite têm a mesma duração ou, em tantos outros povos, de acordo com algum outro tipo de calendário que levava em conta as estações do ano.

Portanto, o que ocorrerá de hoje para amanhã será apenas a mudança de calendário de um mês para outro, como ocorreu do mês passado para este, sem nenhuma implicação espiritual ou energética.

Contudo, a força cultural da virada do ano é tão marcante em nossa sociedade que muitas pessoas se colocam, neste período, em uma espécie de reflexão sobre a própria vida, sobre o que desejam para o futuro e isso é extremamente positivo.

Além do mais, é um momento em que a família está reunida, confraternizando-se, e isso também é muito importante, já que a vida não é feita apenas de trabalho. Os guias sempre me orientaram a aproveitar as ocasiões familiares, pois nunca saberemos se no próximo ano estaremos todos juntos novamente...

Então, a minha sugestão é: se você segue algum ritual, se te faz bem, continue. Não há problema algum. Se você festeja com sua família, aproveite-a bem, você não sabe se ano que vem estarão todos juntos novamente. Contudo, acima de tudo, reflita, reflita muito sobre o ano que passou, seus erros e acertos e o que deseja para seu futuro, pois desejar, é um primeiro passo para a realização.

Ah, e não solte fogos com barulho: além de gastar dinheiro por nada, você assusta recém-nascidos, crianças com autismo e, principalmente, os animais domésticos. Eu mesmo vou fazer a passagem do ano em casa, por que meus cachorros se desesperam com os fogos, brigam, fazem buraco no quintal e tudo isso para quê? Fazer barulho...

Feliz ano novo!

Leonardo Montes

Share:

0 Comments:

Postar um comentário

Os anos de internet me ensinaram a não perder tempo com opositores sistemáticos, fanáticos, oportunistas, trolls, etc. Por isso, seja educado e faça um comentário construtivo ou o mesmo será apagado.