segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

COMPORTAMENTO NO TERREIRO: FOFOCAS

Imagem do google

A fofoca é um dos comportamentos inadequados com força suficiente para abalar ou mesmo destruir um terreiro. Por esta razão, este é um assunto importante e todos precisam refletir com maturidade sobre isto.

Antes de tudo, é preciso considerar o fofoqueiro como alguém perturbado, desequilibrado, sendo quase sempre uma pessoa de baixa autoestima que, por não possuir qualidades que o evidenciem por si mesmo, sempre usa de golpes baixos para se promover...

Contudo, não é propriamente o fofoqueiro quem desequilibra o terreiro, mas aqueles que lhe dão ouvidos e que passam, naturalmente, a serem cúmplices da perturbação que se alastrará por ouvidos desavisados.

De modo geral, aconselho as pessoas a fazerem com que a fofoca morra por asfixia, isto é: se você ouvir algo malicioso de alguém do terreiro, não passe adiante. Corte o mal pela raiz, diga ao fofoqueiro que você não se interessa por este tipo de assunto, que a vida alheia não te diz respeito e que você coloca suas forças apenas em sua própria vida, afinal, você está no terreiro para evoluir, certo?

Quando, porém, as pessoas da corrente perdem tempo com a fofoca, seja ela pessoalmente, por whatsapp ou por ligações telefônicas, se tornam cúmplices do fofoqueiro, afinal de contas, se não estivessem interessadas em mexericos, não perderiam tempo ouvindo pessoas perturbadas, não é?

No livro Nosso Lar (André Luiz / Chico Xavier), a enfermeira Narcisa nos oferece um apontamento muito valioso:

“Os dementes falam de maneira incessante e quem os ouve, gastando interesse espiritual, pode não estar menos louco.” (p. 161)

Portanto, pense bem antes de passar adiante uma fofoca, você pode não estar menos perturbado do que quem lhe contou...

O fofoqueiro faz o possível para parecer bom moço: é sempre gentil, suave, elogiador... Contudo, por mais que tente, não consegue manter a máscara: todos sabem quem é e aqueles que estão compromissados com o trabalho espiritual, o colocam sempre no devido lugar, enquanto os mais fracos sempre caem na conversa fácil de quem nunca constrói nada sólido, mas se afirma sempre o sabedor de tudo que é bom, justo e correto...

Aos trabalhadores que, como eu, se esforçam para fazer algo de bom nesta terra e que, mesmo assim, são vítimas da fofoca, o meu conselho é: releve!

Por mais incomodo seja, releve!

A prova do seu sucesso espiritual é o seu trabalho no bem e a sua consciência tranquila. O fofoqueiro, em última instância, é alguém que lhe inveja e que não possui os predicados para ocupar o seu lugar, por isso fofoca, inventa, difama, distorce, e – justamente por isso – merece a suas orações, afinal, foi isso que nosso mestre nos ensinou:

“Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus”.

Mateus 5:44

Não deixe que a fofoca destrua sua obra!

Deixemos o fofoqueiro sofrer as consequências de seus atos (afinal, acreditamos na lei do retorno), de modo que não precisemos descer ao seu nível para responder à altura.

A espiritualidade nos auxiliará hoje e sempre!

Leonardo Montes


Share:

0 Comments:

Postar um comentário

Os anos de internet me ensinaram a não perder tempo com opositores sistemáticos, fanáticos, oportunistas, trolls, etc. Por isso, seja educado e faça um comentário construtivo ou o mesmo será apagado.