quinta-feira, 28 de novembro de 2019

CURSO BÁSICO DE UMBANDA - CAP. 60 - LITERATURA INDICADA (FINAL)

Imagem do google

Chegamos, finalmente, ao fim deste estudo. Foram quase oito meses para sua produção, centenas de páginas escritas com todo amor, carinho e conhecimento que possuo.

Daqui a alguns anos, certamente, visitarei tudo novamente, lendo as páginas e analisando (como faço com as reflexões), para ver se ainda mantenho o mesmo ponto-de-vista em relação aos assuntos tratados. Quem sabe?

Caminhemos, portanto, para o seu encerramento.

Literatura na Umbanda

A Umbanda cresceu de forma caótica e a sua literatura também. A bem da verdade, quando comecei a ler livros de Umbanda a impressão não foi positiva. Os autores não se entendiam entre si, cada um falava uma coisa.

É por esta razão que eu raramente mencionei algum livro de Umbanda neste estudo, não indicando a literatura de nenhum autor, exceto os de cunho histórico.

Cada autor formou sua compreensão tendo em vista o que aprendeu e vivenciou no terreiro. Como as experiências foram plurais e diversas, a literatura também se tornou plural e diversa.

Não conheço um único autor cuja visão de Umbanda se aproxime do que vivenciei e aprendi em terreiro. Assim, colhi contribuições aqui e ali, mas não posso apontar a vocês uma obra de cunho doutrinário que pudesse resumir o que aprendi.

Aliás, foi por isso que escrevi este curso...

Contudo, ao escrever sobre Umbanda, eu também me insiro neste universo plural e diverso. Certamente, muitas pessoas, ao correrem os olhos por estas páginas também discordarão de mim, é natural.

Em relação aos autores clássicos que porventura você esteja pensando, não os indiquei pelo seguinte:

Todos os autores de Umbanda que li até hoje sofriam do mesmo problema: eles ofereciam a sua visão sobre a religião como sendo a única, a melhor, a verdadeira, a correta compreensão de Umbanda, quando deveriam ter oferecido apenas uma compreensão, uma visão, não a única ou a melhor, etc.

Entretanto, por não indicar algum livro, isto não quer dizer que eu não recomende a leitura dos mesmos, pelo contrário, acho que todos que se interessam seriamente devem ler tudo quanto puderem, mas deixo isso com vocês.

Eu apenas não os indico como fontes doutrinárias complementares a este estudo, fontes que embasem a visão que apresentei neste curso, exceto os livros de cunho histórico, como estes:

   1.    O Espiritismo, a Magia e as Sete Linhas de Umbanda, de Leal de Souza;
    2.    História da Umbanda – Uma religião brasileira, de Alexandre Cumino;
   3.    História da Umbanda no Brasil (toda a série), de Diamantino Fernandes Trindade.

Literatura espírita

Muitos umbandistas creem que a Umbanda não deva adotar a literatura espírita como parte de seus fundamentos doutrinários. Entendem essas pessoas que a religião precisa de uma literatura própria e alguns até se esforçam em produzi-la.

Contudo, penso que este pensamento seja um erro.

Em primeiro lugar, foi o próprio Caboclo das Sete Encruzilhadas, no regimento interno da Tenda Espírita Nossa Senhora da Piedade, quem recomendou a leitura de três dos cinco livros básicos de Allan Kardec:

Regimento interno da TENSP
Em segundo lugar, por que estas obras traduzem uma revelação do mundo espiritual aceita pelas entidades na Umbanda. Negar isso, seria o mesmo que dizer aos protestantes que, por discordarem dos católicos, eles devessem escrever uma nova bíblia...

O umbandista é convidado a estudar estas obras que darão fundamento às suas práticas, por que o Espiritismo é uma das vias de influência da religião, simples assim!

Aprenda a doutrina do seu terreiro

Acima e, além de qualquer autor, convém que o estudante de Umbanda não se esqueça de aprender a doutrina do terreiro onde atua. De nada adianta conhecer autor A e B e não conhecer os fundamentos da própria casa.

Com muita frequência se esquece que o terreiro é uma verdadeira universidade do espírito e que muito se aprende com as entidades, varrendo chão, ouvindo conselhos e orientações dos mais experientes, etc.

Há pessoas que deixam de aprender com as entidades para perguntarem a mim: não faça isso!

Mais importante do que eu penso, do que autor A ou B pensam, é o que se faz onde você atua. Portanto, esforce-se em aprender a doutrina do seu terreiro, para que você se torne um trabalhador útil na casa onde Deus te chamou ao serviço espiritual!

Encerramento

Encerro este estudo agradecendo a paciência e a natural compreensão das falhas, omissões ou mesmo incongruências que os estudantes venham a encontrar neste material.

Trata-se - é preciso lembrar -, de uma iniciativa simples, de uma pessoa simples, um médium como qualquer outro e não um tratado de religião.

Por isso resolvi publicá-lo em um blog, disponibilizá-lo posteriormente em PDF, gratuitamente, para que todos que se interessem possam tirar algum proveito, sem pretensão de infalibilidade, mas com desejo sincero e fraterno de oportunizar um aprendizado proveitoso a todos, especialmente aos leigos e aos que se simpatizem com esta maneira de ver e pensar Umbanda.

O estudo da religião é imenso, aqui demos apenas alguns passos!

Leonardo Montes

Share:

8 comentários:

  1. Parabéns, Leo!
    Muito obrigada pelos ensinamentos contidos no curso disponibilizado no blog. Foram de grande contribuição para nossos estudos!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Léo Montes, eu mais uma vez agradeço pelo empenho caritativo de tornar esse conhecimento expresso em páginas e mais páginas ; eu só tenho que agradecer e aprendi bastante, fiz desse curso minha leitura matinal e aprendi bastante esse ponto de vista.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  3. Gratidão irmão! Agora acompanharei seus Podcasts, e abordagens dos temas que discorrem nossa querida Umbanda!

    ResponderExcluir
  4. Aprendi muito,e continuo aprendendo,Gratidão,por dividir,seu conhecimento conosco,e continue sempre assim;Humilde,Estudioso,aprendendo sempre,e dividindo,com Todos!!

    ResponderExcluir

Os anos de internet me ensinaram a não perder tempo com opositores sistemáticos, fanáticos, oportunistas, trolls, etc. Por isso, seja educado e faça um comentário construtivo ou o mesmo será apagado.