terça-feira, 12 de novembro de 2019

CURSO BÁSICO DE UMBANDA - CAP. 53 - CORRENTE MEDIÚNICA

Imagem do google

Corrente mediúnica é o nome que se dá para a equipe de encarnados reunida para a realização de um trabalho espiritual.

Corrente

O termo “corrente” é uma figura de linguagem que exemplifica bem o processo de ligação mental e energética que ocorre entre os membros de um trabalho espiritual.

Antes do início da gira, quando todos estão reunidos em silêncio e na oração, a espiritualidade promove uma ligação energética entre os membros da equipe, criando um verdadeiro cinturão energético (daí a importância de não ficar saindo do Congá toda hora).

Se tivéssemos a capacidade de ver, veríamos um filamento energético intenso e brilhante perpassando todos os presentes, ligando a todos, delimitando um espaço energético (que outras correntes chamariam de espaço mágico), onde toda e qualquer vibração negativa é expurgada, fazendo que com todos os médiuns vibrem o mais intensamente possível (e daí a importância de fazerem corretamente o resguardo).

Neste instante, a energia do terreiro se comporta como um organismo vivo, pois se relaciona diretamente com a energia de cada pessoa da equipe encarnada, buscando sempre estabilidade. Caso as vibrações estejam fracas, é comum que a espiritualidade retire a energia de alguém que a possua em maior quantidade para cedê-la a quem esteja mais enfraquecido, o que causa a sensação de sonolência e os constantes bocejos.

Quando a corrente está estável, os médiuns estão prontos para receberem seus respectivos guias.

Quebra de corrente

A quebra de corrente não ocorre apenas pelo fato de alguém sair deste círculo energético, mas por não vibrar no diapasão adequado. Se algum médium estiver doente, fraco, com pensamentos dispersos ou mesmo negativos, este se tornará um elo fraco da corrente, fazendo que a estabilidade energética necessária não ocorra, dificultando a incorporação de todos os demais médiuns.

É também por esta razão que os espíritos empregam o termo corrente, já que estão todos unidos e, por isso, influenciando-se mutuamente. Assim, o médium que não cumpre o resguardo ou não consegue se elevar na oração ou cultivar bons sentimentos na hora da gira, naturalmente se transforma em elemento contrário ao trabalho, dificultando sobremaneira a incorporação, pois será como um fio solto num circuito eletrônico, fora de sintonia, disfuncional, problemático.

Por isso, os trabalhadores espirituais devem estar sempre muito cientes de sua responsabilidade e se, por qualquer razão, não estiverem aptos a contribuírem com a corrente, melhor seria se fossem apenas para tomar passes e não para trabalhar, justamente, por que serão um elo fraco da corrente, correndo mesmo o risco de absorverem algum resquício energético durante as limpezas espirituais que poderão ser atraídos para si em virtude da baixa vibração.

Pelo exposto, pode-se concluir que a corrente seja algo que mereça toda nossa atenção.

Elevação da corrente

Uma das formas de elevar uma corrente fraca (e todo médium sente quando a corrente está fraca) é cantando pontos. Quando se cantam os pontos com fé, amor e devoção, eles se transformam em orações, pois afetam profundamente nossas emoções, fazendo que nossos sentimentos se elevem, nossos pensamentos se purifiquem e nossa energia vibre mais intensamente.

Contudo, fazer a corrente cantar é um verdadeiro desafio. Muitos são tímidos, outros não compreendem o valor do canto e outros tantos são apenas preguiçosos, balbuciando ao invés de cantar o ponto com sua alma em alegria...

Durante a gira

Não basta, contudo, estabelecer a corrente, é preciso mantê-la firme e forte. Assim, as condições iniciais, em tese, deveriam ser mantidas até o fim. Porém, com correr do trabalho e cansaço das pessoas, naturalmente a corrente se enfraquecerá.

É neste ponto que a colaboração do cambone será tremendamente valiosa. Como já estudamos anteriormente, o cambone é o assistente da entidade. Porém, ele não atua apenas fornecendo os itens de trabalho, mas também sua energia.

O cambone, portanto, que foca sua atenção no atendimento ao invés de manter-se disperso olhando o teto, contribuirá significativamente para manutenção da corrente, pois quanto mais o tempo passa, mais o médium perde força em razão do transe mediúnico, fazendo com que a entidade use muito de sua força para fortalecer o transe, diminuindo, portanto, a energia da corrente como um todo.

Assim, se o cambone ora, procura elevar seus pensamentos, desejando o melhor para o consulente que está sendo atendido, sua energia flui para a corrente, fortificando-a. É um sistema de autorregulação.

Consulência

Os consulentes também podem (e devem) contribuir para o fortalecimento da corrente, principalmente com o silêncio e com a oração. Contudo, conseguir isto também não é nada fácil.

Sempre antes de iniciar uma gira eu aviso que o silêncio e a concentração são fundamentais, mas por vezes preciso me policiar quando estou em outros terreiros e vejo uma consulência mal-educada conversando descontraidamente como se estivessem num restaurante e não em um terreiro, até para não atrapalhar a corrente com a minha raiva deste comportamento.

O silêncio na assistência é algo que as casas deveriam pegar muito firme, pois os pensamentos dispersos geram energias diversas que incidirão sobre a corrente, enfraquecendo-a. Agora, adivinha quem mais sente? Justamente, a pessoa que for o elo fraco. Daí não ser incomum que esta pessoa termine a gira passando mal...

Ao contrário, porém, quando a consulência é educada, evitando conversar, focando sua atenção no trabalho, orando e vibrando favoravelmente pelos médiuns, o trabalho ganha um aporte considerável de força, o que causará menos desgaste aos médiuns e melhor qualidade na receptividade mediúnica.

Como se vê, tudo tem fundamento na religião.

Até a próxima aula!

Leonardo Montes

Share:

0 Comments:

Postar um comentário

Os anos de internet me ensinaram a não perder tempo com opositores sistemáticos, fanáticos, oportunistas, trolls, etc. Por isso, seja educado e faça um comentário construtivo ou o mesmo será apagado.