quarta-feira, 6 de novembro de 2019

CURSO BÁSICO DE UMBANDA - CAP. 50 - CAMBONES

Imagem do google

Um terreiro de Umbanda é basicamente dividido em duas funções: médiuns e cambones. Os médiuns são as pessoas que entram em transe, os cambones são os que não entram.

Ambos são necessários para que uma gira ocorra e é por esta razão que não se pode fazer uma gira sem ambos.

Definição

A palavra cambone (ou cambono) provavelmente vem de Kambondo (palavra que equivale ao cargo de Ogã no Candomblé de Angola) e que possivelmente foi aportuguesada até se transformar em cambone, termo mais comum.

O cambone é a pessoa que não incorpora durante a gira e que atua auxiliando as entidades durante o trabalho.

Funções

Os cambones são os olhos e ouvidos do terreiro quando todos os médiuns incorporam. São responsáveis por recepcionar as entidades, direcioná-las para seu local de atuação e entregar-lhes tudo quanto necessitem.

Assim, entregam o giz para que risque o ponto; puxam os pontos; trocam o fumo do cachimbo; servem a bebida; acendem o charuto; anotam os recados ou receitas das entidades; atuam como intérpretes caso o consulente não entenda o que a entidade está lhe dizendo, etc.

Importante salientar que os cambones são auxiliares das entidades e não empregados dos médiuns!

Contudo, mais do que servir às entidades, os cambones auxiliam na organização do terreiro, direcionando as pessoas, prestando esclarecimentos, organizando a assistência, etc.

Por isso são os olhos e ouvidos do terreiro: quando os médiuns incorporam, são eles que conduzem todo o trabalho.

Preparação

Conforme já estudamos anteriormente, as pessoas que nascem com o compromisso da mediunidade são preparadas antes da sua encarnação e com os cambones também ocorre isso.

Não é qualquer pessoa que recebe esta incumbência, sendo uma verdadeira honra tornar-se auxiliar das entidades num terreiro (eu ainda lembro com muito carinho e saudade das primeiras entidades que cambonei).

Portanto, se você algum dia for chamado a desempenhar esta função, sinta-se honrado!

Primeiros passos

É muito comum que os terreiros coloquem os novatos para cambonar, mesmo que sejam médiuns. É uma forma maravilhosa de aprendizagem, pois estar ao lado de uma entidade, desenvolver um vínculo afetivo com a mesma e aprender com ela é uma maravilhosa oportunidade de aprendizagem.

Assim, muitos serão cambones transitoriamente, enquanto não desenvolvem sua mediunidade, vindo a atuar, no futuro, como médiuns. Outros, porém, começarão e terminarão sua jornada no terreiro como cambones.

Mediunidade

É um erro dizer que os cambones não sejam médiuns. A maioria acaba sempre desenvolvendo um tipo de mediunidade, como a intuição, pressentimento e mais raramente a visão ou audição espiritual.

Eles apenas não são médiuns de incorporação, mas não quer dizer que não possuam mediunidade ou mesmo a assistência e proteção dos guias.

Tanto é que muitas vezes auxiliam as entidades com suas orações e doando suas energias, razão pela qual é fundamental que esteja focado durante o trabalho espiritual.

Ética

Nada é pior para o terreiro que um cambone fofoqueiro. Como alguém que não entra em transe e que tem a capacidade de observar e mesmo de ouvir muito do que as entidades aconselham numa consulta, é de fundamental importância que saiba guardar silêncio: o que acontece no terreiro, fica no terreiro.

O cambone deve aproveitar a oportunidade que lhe foi dada como meio para instrução de si mesmo e não para fofocar ou comentar aquilo que aconteceu com outras pessoas do terreiro ou mesmo fora dele.

É de suma importância que saiba proceder assim pois, como certa feita me disse uma entidade: filho, ao me cambonar, confiarei um tesouro a seus ouvidos!

Cambone chefe

Para organizar os cambones de um terreiro é comum que haja o cargo de “cambone chefe”, isto é, o cambone responsável por todos os demais cambones.

Enquanto o cambone mantém sua atenção e foco na entidade que está auxiliando, o cambone chefe observa o trabalho como um todo. Se vê algum cambone em dificuldade, auxilia-o. Se percebe algum consulente perdido, vai a seu encontro e o esclarece.

Portanto, o cambone chefe é o chefe dos cambones. Um cargo de muita responsabilidade, sendo o representante da vontade dos chefes espirituais da casa.

Conclusão

Enquanto os médiuns precisam silenciar a sua mente para que outra inteligência os guie nos trabalhos espirituais, o cambone atua com suas próprias capacidades e forças.

Receber a proposta de trabalho como cambone é uma verdadeira alegria e encerra oportunidades de aprendizagem profundas, pois frequentemente o cambone ouve ao menos parte da consulta, como também os conselhos dados, tirando para si mesmo preciosas lições de espiritualidade cristalina, se assim souber aproveitá-las.

Até a próxima aula!

Leonardo Montes
Share:

0 Comments:

Postar um comentário

Os anos de internet me ensinaram a não perder tempo com opositores sistemáticos, fanáticos, oportunistas, trolls, etc. Por isso, seja educado e faça um comentário construtivo ou o mesmo será apagado.