quinta-feira, 26 de setembro de 2019

CURSO BÁSICO DE UMBANDA - CAP. 34 - PONTOS CANTADOS

Imagem do google
A expressão “pontos cantados” refere-se a cantigas da religião. Em toda a Umbanda, independente da vertente, as cantigas têm uma importância muito grande dentro da ritualística.

Característica comum dos pontos cantados são os versos simples, por vezes, cantados em “português errado”, pois boa parte deles surgiram quando a alfabetização era ainda precária no Brasil (tente imaginar o percentual de pessoas que sabia ler/escrever no começo do século XX).

Os pontos de Umbanda são majoritariamente em português, porém, alguns carregam termos em Iorubá (influência Ketu) ou Quimbundo (influência Bantu). Por vezes, contam a história de uma entidade, outras vezes são apenas agradecimentos, pedidos de auxílio, etc.

É comum que os trabalhos se iniciem e se encerrem com pontos cantados.

Oração

O ponto cantado deve ser visto como uma oração, uma oração em forma de canto, sendo extremamente útil para que o médium eleve seu pensamento através das estrofes simples que normalmente compõe o ponto (por isso o termo “ponto”, já que costuma ser pequeno).

Uma das grandes dificuldades dos terreiros é fazer com que os membros da corrente cantem. Muitos, por vergonha, acabam apenas mexendo os lábios, sem emitir verdadeiramente um canto.

É preciso superar essa vergonha, tendo-se em vista que o canto num ritual religioso tem a força de uma oração, sendo capaz de congregar boas vibrações em todo o ambiente.

Cantar fora do terreiro

Há pessoas que cantam pontos no caminho para o trabalho, limpando casa, andando de bicicleta, enfim, haverá algum problema nisso?

Na verdade, não!

Pode-se cantar pontos onde e quando se queira. Mas, é preciso ter um certo cuidado.

Se a pessoa canta com frequência nos mais diversos ambientes, existe uma boa chance de que transforme, sem querer, o ponto numa espécie de “marchinha”, uma música qualquer, fazendo com que aquele aspecto sagrado do ponto que faz arrepiar os pelos dos braços se perca, tornando o ponto simplesmente uma música sem maior valor: algo que se canta com a boca, mas que não vibra o coração.

Por esta razão, recomendo sempre que se evite cantar fora do terreiro, não por que isso traria algo de ruim, mas para que o aspecto sagrado do ponto não se perca...

Atabaques

Na Umbanda nascente não se usava atabaques. Isso basicamente por duas razões:

A primeira é que o C7E entendia que a entidade vinha para fazer caridade, não para ficar dançando, cantando, etc. Isto é, ele tinha uma visão restrita ao trabalho: entidade baixa para fazer caridade. Ponto final.

A segunda razão é que se temia (com certa razão), que o som dos atabaques condicionasse os médiuns negativamente, isto é, só conseguindo incorporar se os atabaques fossem tocados. Por isso, àquele tempo, os pontos eram entoados apenas com a voz, sem palmas, sem atabaques, sem nenhum outro instrumento.

Sem dúvida os receios do C7E eram justificáveis, pois muitos médiuns realmente só conseguem entrar em sintonia se houver um atabaque, e isto é um condicionamento mental muito negativo...

Atualmente, a maior parte dos terreiros possui atabaques e estes são tocados juntamente com outros instrumentos de percussão que, se bem executados, são capazes de proporcionar belíssimas cantigas que tocam o coração e a alma.

Ponto gritado

A força de um ponto não está no timbre de voz ou na afinação de quem canta, mas na fé com que a pessoa canta. Quanto mais o ponto mexer com as nossas emoções, mais força ele terá.

Ainda assim, contudo, muitos exageram na hora de cantar, literalmente, passando do canto ao grito, o que certamente não convém...

Pontos antigos x modernos

Este é um assunto que eventualmente aparece: o melhor é cantar os pontos antigos ou os modernos?

Na verdade, não há uma resposta certa sobre isso, ficando a critério do gosto pessoal.

Particularmente, prefiro os pontos antigos, sem atabaques, só na voz. Eles me remetem a um espaço gostoso entre o espiritual e o material, uma certa nostalgia...

Contudo, eu também aprecio o som dos atabaques quando bem executados e também gosto de vários pontos modernos que estão sendo divulgados, principalmente, pelo youtube.

Não acho que necessariamente precisa haver atrito entre o passado e presente, ambos podem conviver e trazer a sua contribuição, porém, cada um é livre para escolher aquilo que mais desperta a sua fé, que é o objetivo do ponto cantado.

Pontos para a esquerda

Antigamente, era comum ouvirmos pontos de exus que faziam associações com o diabo ou até mesmo com atos de violência. Contudo, embora populares, pontos desta natureza mais enfraquecem do que ajudam a religião, pois, não raro, difundem uma imagem que não condiz com a realidade.

Por esta razão, sugiro evitá-los.

Exemplos de pontos cantados

Trarei alguns pontos cantados que aprecio, como forma de exemplificação ao leigo:



Até a próxima aula!

Leonardo Montes


Share:

0 Comments:

Postar um comentário

Os anos de internet me ensinaram a não perder tempo com opositores sistemáticos, fanáticos, oportunistas, trolls, etc. Por isso, seja educado e faça um comentário construtivo ou o mesmo será apagado.