segunda-feira, 16 de setembro de 2019

CURSO BÁSICO DE UMBANDA - CAP. 28 - USO DAS VELAS

Imagem do google

Costumo dizer que a vela é o jeito mais prático, simples, barato e seguro para manter aceso o fogo, cuja energia é muito importante para os trabalhos na religião. Assim, o que importa é o fogo e não a vela, propriamente.

Fogo

Trata-se de uma energia com profunda ação de limpeza, utilizada pelas entidades para descarrego e mesmo tratamento de enfermidades.

Certamente você já deve ter visto trabalhos em que as entidades aplicam o passe e direcionam a mão para o rumo da vela que, não raramente, chega mesmo estalar, trepidando.

A energia do fogo, que a vela sustenta, é muito poderosa para desagregar fluidos negativos, queimar miasmas e produzir limpezas, sendo a vela o meio mais simples e prático de sustentar, com relativa segurança, essa energia.

Uso diversos

Existem diversos usos para as velas dentro de um trabalho de Umbanda. O primeiro deles é no altar. As velas (ou a vela, conforme a casa), servem para iluminar o altar. Algumas casas apagam as luzes na hora da oração, o que confere um aspecto muito interessante ao altar iluminado pelas chamas do fogo.

Além disso, as velas também são utilizadas nos assentamentos e firmezas (falaremos mais deles futuramente), como também nos pontos riscados das entidades, além de acessórios para acender o cachimbo e mesmo o charuto das entidades.

Cores

O mesmo processo que deu origem ao sincretismo também deu origem a relação de cores dos Orixás com as velas. É comum atribuir-se (embora isso varie de região para região), por exemplo, a vela branca para Oxalá, a vela vermelha para Ogum, a vela verde para Oxóssi, a vela marrom para Xangô, a vela azul claro para Iemanjá, a vela azul escuro para Oxum, a vela amarela para Iansã, etc.

Sem dúvida, quando um Congá (ou um ponto riscado) é enfeitado com velas coloridas, isso dá mais beleza a ele. Porém, é preciso não esquecer que a diferença entre a vela branca e a azul, por exemplo, ocorre apenas pelo corante. Não há diferença essencial entre elas.
Por esta razão, a vela branca pode ser usada em todos os casos e sem dúvida produzirá o mesmo efeito.

Há pessoas que imaginam que se não acenderem uma vela vermelha para Ogum, suas orações não serão ouvidas, mas isso não é verdade. A vela vermelha possui apenas corante vermelho, nada mais.

Em casa

Uma das perguntas frequentes é:

- Posso acender vela em casa?

A resposta é simples:

- Pode!

Desde que você saiba o que está fazendo, para quem você está fazendo, com que intenção você está fazendo, não há nada de errado.

Antigamente, porém, muitas pessoas tinham receio, pois imaginavam que ao acender uma vela em casa estariam atraindo os mortos para sua residência. Ainda hoje há muitos que creem nisso. Porém, se pergunte: por que os mortos se interessariam por uma vela numa sociedade com vias iluminadas e com casas que possuem luzes acesas o tempo todo?

Certa vez conversei sobre isso com uma entidade que me explicou o seguinte: antigamente, quando não havia luz elétrica e as cidades tendiam a ser povoados pequenos, o cemitério ficava sempre afastado das casas. Porém, quando as pessoas acendiam velas à noite, a luz das velas, atravessando as janelas, pela escuridão da noite, podiam ser vistas de longe, até mesmo das portas do cemitério. Daí se criou a ideia de que os mortos (no cemitério), vendo as luzes que se irradiavam das velas pela escuridão da noite, acabariam chegando até as casas das pessoas.

Foi uma explicação interessante e inédita para mim.

O fato, porém, é que os espíritos estão em toda parte: nas ruas, nas praças, nas instituições públicas ou privadas, eles transitam livremente por este mundo, entrando em qualquer ambiente que lhes dê guarida (energeticamente falando), não será uma vela que irá atraí-los...

Assim, se a pessoa tiver o seu altar pessoal e quiser acender uma vela para suas orações, poderá fazê-lo; se fizer uma pequena firmeza para seus guias, poderá acender uma vela sem problema; se quiser mesmo orar por entes queridos que já faleceram (por que a oração sincera é sempre boa), também poderá acender uma vela sem problema. Nada disso irá atrair coisas ruins para a sua casa, pelo contrário, atrairá coisas boas, boas energias.

A exceção do uso das velas dentro de casa fica por conta das firmezas para a esquerda, que neste caso devem ser feitas fora da residência, próximas ao portão, na varanda ou na garagem, por exemplo. Contudo, falaremos disso mais adiante.

Reutilização

As velas utilizadas no Congá, nos pontos riscados das entidades, nas firmezas e/ou assentamentos, jamais devem ser reutilizadas, não havendo mesmo necessidade de queimarem até o fim.

A partir do momento em que o trabalho é encerrado, as velas podem ser apagadas e jogadas no lixo. Deixar a vela queimar até o fim, além de não ter nenhuma serventia espiritual, irá apenas dificultar a limpeza, posteriormente.

A vela para o altar pessoal é a única exceção para reutilização. Ela pode ser acesa e apagada quantas vezes forem necessárias, sem nenhum prejuízo de força ou energia.

Oferendas

No caso de oferendas na natureza, além do cuidado em recolher a vela derretida ao fim do trabalho, é preciso ter muita atenção para não iniciar incêndios.

Como quem conhece a realidade do campo, especialmente em uma época seca como esta, posso garantir que alguns segundos de descuido são suficientes para iniciar um incêndio de grandes proporções.

Não é tão incomum observar um grande incêndio no campo e ouvir dos fazendeiros que no local provável do início do fogo foi achada “uma macumba”...

Cuidados

É preciso tomar muito cuidado quando acender uma vela dentro de casa. Não se descuide. Sempre derreta a base dela primeiro para que fique bem fixa onde você irá colocá-la (sugiro, um pequeno pires de cerâmica) e jamais deixe a vela acesa em casa sem que haja alguém presente.

É comum os médiuns acenderem uma vela para o Anjo de Guarda antes dos trabalhos e deixarem a vela acesa em casa enquanto vão para o terreiro, porém, isso é extremamente perigoso e já tive inúmeros relatos de pessoas que chegaram em casa e se espantaram com o estrago feito pelo fogo.

Não pense que por você estar usando a vela dentro de um ritual religioso, ainda que particular, que isso irá isentá-lo dos perigos, afinal, estamos em um mundo material onde as leis materiais imperam. Se por ventura essa vela cair e rolar até um objeto que possa facilmente pegar fogo, você chegará em casa e encontrará um baita prejuízo.

Assim, se você tem o hábito de firmar para o Anjo de Guarda, sugiro que faça isso antes de sair de casa, até por que essa firmeza tem por objetivo fazer com que o médium ore, lembrando-se de seu protetor espiritual, ligando-se a ele pelo pensamento e pelo coração!

Particularmente, costumo acendê-la no momento em que preparo o banho com as ervas, horas antes de sair de casa, assim, quando vou tomar o banho, se a vela não estiver completamente consumida eu a apago, jamais deixando qualquer vela acesa no ambiente sem a minha presença.

Até a próxima aula!

Leonardo Montes


Share:

0 Comments:

Postar um comentário

Os anos de internet me ensinaram a não perder tempo com opositores sistemáticos, fanáticos, oportunistas, trolls, etc. Por isso, seja educado e faça um comentário construtivo ou o mesmo será apagado.