terça-feira, 28 de maio de 2019

EVITE TOCAR O CONSULENTE DURANTE O PASSE

Imagem do google

Os passes aplicados pelas entidades no terreiro, quase sempre, são feitos através de gesticulações, estalos de dedos ou de imposição de mãos. A entidade incorporada possui a sua própria forma de trabalhar e, frequentemente, usa as mãos do médium como direcionador do fluxo energético emitido.

Algumas entidades gostam de tocar nas pessoas, como o Caboclo Pemba Branca, que eu incorporo, que gosta de colocar a mão sobre o ombro da pessoa quando vai dialogar com a mesma ou a Vó Maria Rosa, preta-velha, que gosta muito de segurar a mão do consulente enquanto conversa com ele.

Até aí, normal.

Contudo, por vezes, a entidade precisa fazer um trabalho mais demorado sobre um chackra ou determinada região do corpo que, se tocadas, podem gerar algum constrangimento. Algumas entidades tocam mesmo o consulente mas, na maioria das vezes, é o médium que não mede o impulso do próprio braço e acaba tocando.

Pode ser que na maioria das vezes não haja nenhum problema, mas é bom evitar dor de cabeça. A ação espiritual promovida pela entidade não prescinde do toque físico, bastando conservar a mão alguns centímetros do corpo do consulente, sem necessidade do toque físico.

Para exemplificar essa questão, vou contar um caso que aconteceu com um antigo conhecido.

Certa feita ele foi a um Centro Espírita tomar passes. Por uma questão “natural” de respeito, as pessoas tiram o boné quando entram para a câmara de passes. Ele não tirou. O passista se aproximou e pediu que o tirasse, ele não aceitou, pois estava ficando careca e não gostava de tirar o boné. O passista insistiu novamente, ao que meu amigo respondeu:

- Se seu passe não passa pelo boné, então, não quero.

Levantou-se e saiu.

Claro que achei um exagero a atitude dele e uma falta de respeito com a boa-vontade do passista...

Porém, no fundo, ele tinha razão: Se era preciso tirar o boné para receber o passe, por que não era preciso tirar toda a roupa? Se o passe passa pela camisa, não passaria pelo boné?

O passe nada mais é do que a transfusão de energias do médium/entidade para o consulente e não entra no corpo pelos poros ou é impedido pela roupa, já que atinge diretamente o corpo espiritual que repassa a energia para o corpo físico, como a circulação sanguínea seguindo seu percurso natural.

Então, da mesma forma, a sugestão é: evite tocar o corpo do consulente, seja homem ou mulher, por que o passe passa por onde tiver que passar até chegar onde deve chegar e bem pode ser que algumas pessoas se sintam incomodadas quando tocadas e acabem por gerar desconfianças e receios em relação ao médium ou mesmo ao terreiro.

Leonardo Montes

Share:

0 Comments:

Postar um comentário

Os anos de internet me ensinaram a não perder tempo com opositores sistemáticos, fanáticos, oportunistas, trolls, etc. Por isso, seja educado e faça um comentário construtivo ou o mesmo será apagado.